Início > Formula1 > Coréia do Sul: Corrida

Coréia do Sul: Corrida

A sorte de campeão Alonso

Faltando 2 corridas para o fim do campeonato, Fernando Alonso lidera o mundial de pilotos. Se alguém tivesse dito isso 7 corridas atrás, seria chamado de louco, mas a mesa virou e desde então Alonso venceu 4 corridas. O talento, velocidade e experiência do espanhol é algo indiscutível, entretanto, sem o melhor carro ele dependeu da sorte, e esta abriu um grande sorriso. No GP da Coréia do Sul, foi algo incrível.

Primeiro foi a chuva, que transformou o favoritismo da Red Bull em incerteza e o erro de Webber em acidente. Como já disse, a pressão de liderar o campeonato pesa em Webber. O acidente de Webber também retirou o perigo da traseira de Alonso, ao acabar com a corrida de Rosberg, já em 4º lugar.

Quando todos pararam para colocar pneus “intermediário”, o azar (apesar de Alonso ter confessado que parou em uma posição ruim para os mecânicos) apareceu pela primeira vez. Um mecânico deixou o miolo da roda dianteira direita escapar, custando segundos preciosos. Hamilton passou, mas por sorte, quem vinha atrás era seu companheiro, que ao invés de acelerar pra ultrapassá-lo, se preocupava em aquecer os pneus recém colocados. Entretanto, o azar logo foi compensado pelo erro de Hamilton na relargada.

O golpe final veio sobre Vettel, o alemão liderava a corrida com consistência, sendo sendo o mais rápido nas primeira voltas das relargadas. Faltando menos de 10 voltas para o fim, o motor Renault da Red Bull número 5 foi pelos ares, diga-se de passagem, era o primeiro GP deste motor.

Alonso sem sorte neste domingo terminaria em 4º, e estaria em 3º no campeonato, atrás das 2 Red Bulls e com chance reduzida de título. Mas parece que os deuses da F1 gostam do asturiano, ou, pelo menos, gostam de fortes emoções.

Sem favorecimento na Red Bull

A “liderança virtual” do campeonato passou por 3 mãos durante a corrida. A princípio com Webber, depois Vettel e por fim Alonso. Faltando apenas 2 corridas, a melhor aposta da equipe austríaca é em Webber. Sendo fiel à afirmação proferida na metade do campeonato, Christian Horner confirma que ainda não haverá favorecimento a nenhum de seus pilotos. Mark Webber tem os pontos, mas faz tempo que não tem uma atuação digno de campeão. Vettel em momento ascendente, está um tanto distante na pontuação e depende de certa combinação de resultados, principalmente algum problema/erro de Alonso.

Pessoalmente, acho que nada deve ser feito em Interlagos.

A 3ª vitória de Vettel

Vários pilotos tiveram problemas com equipamento nesta temporada, mas não recordo de algum deles ser enquanto liderava a corrida, exceto por Vettel. O abandono no GP da Coréia do Sul soma-se aos problemas na Austrália e Bahrein. A verdade é que mesmo cometando um bom número de erros nesta temporada, Vettel estaria consideravelmente à frente de Webber se não fosse pelos problemas mecânicos.

Button fora da disputa

Logo após a corrida terminar, Jenson afirmou que o campeonato havia acabado para ele. Pensando melhor voltou atrás, o que não parece ser verdade. A chance matemática de Button serve como desculpa para não virar escudeiro de Hamilton, pelo menos oficialmente.

O trapalhão Sutil

A condição da pista não era das melhores, mas Adrian Sutil abusou dos erros e leva o troféu Trapalhão da Semana. Seu companheiro, Liuzzi, também fez trapalhadas no começo, mas acabou em uma excelente 6ª posição.

A melhor corrida de Schumacher

O hepta quase conseguiu um podium nesta conturbada corrida. Apesar de ser seu melhor resultado do ano, provavelmente ficaria atrás de seu companheiro caso Webber não tivesso o tirado da prova.

Estes 5 senhores se reuniram num guard rail para imitar a célebre foto dos candidatos ao título de 1986. Deve ser um consenso que a original era ben melhor.

Categorias:Formula1
  1. MOTOGP
    30/10/2010 às 16:25

    Grid definitivo para a corrida amanhã:
    1. Jorge Lorenzo – Yamaha
    2. Nicky Hayden – Ducati
    3. Valentino Rossi – Yamaha
    4. Casey Stoner – Ducati
    5. Ben Spies – Tech 3 Yamaha
    6. Marco Melandri – Gresini Honda
    7. Andrea Dovizioso – Honda
    8. Randy de Puniet – LCR Honda
    9. Colin Edwards – Tech 3 Yamaha
    10. Marco Simoncelli – Gresini Honda
    11. Aleix Espargaro – Pramac Ducati
    12. Dani Pedrosa – Honda
    13. Loris Capirossi – Suzuki
    14. Alvaro Bautista – Suzuki
    15. Hector Barbera – Aspar Ducati
    16. Hiroshi Aoyama – Interwetten Honda
    17. Carlos Checa – Pramac Ducati

  2. MOTOGP
    30/10/2010 às 11:51

    UMA FORTE CHUVA CANCELOU O ÚLTIMO TREINO DA MOTOGP EM PORTUGAL.

    Classificação final ficou sendo a do terceiro treino livre, com isso, as motos Yamaha com Jorge Lorenzo e Valentino Rossi largam na frente amanhã, com Dovizioso da Honda que fez o terceiro tempo larga também na primeira fila.

    MotoGP, Estoril, treino livre 3:
    1) LORENZO/Yamaha/ESP/1:48.853
    2) ROSSI/Yamaha/ITA/+0.582
    3) DOVIZIOSO/Honda/ITA/+1.154
    4) STONER/Ducati/AUS/+1.228
    5) EDWARDS/Yamaha Tech 3/EUA/+1.460
    6) SIMONCELLI/Gresini Honda/ITA/+1.647
    7) ESPARGARÓ/Pramac Ducati/ESP
    8) PEDROSA/Honda/ESP
    9) MELANDRI/Gresini Honda/ITA
    10) CAPIROSSI/ Suzuki/ITA
    11) SPIES/Yamaha Tech 3/EUA
    12) BAUTISTA/ Suzuki/ESP
    13) HAYDEN/Ducati/EUA
    14) AOYAMA/Interwetten Honda/JAP
    15) DE PUNIET/LCR Honda/FRA
    16) CHECA/Pramac Ducati/ESP
    17) BARBERÁ/Aspar Honda/ESP

  3. MOTOGP/PORTUGAL
    28/10/2010 às 5:38

    Valentino Rossi:
    “Quero fechar com chave de ouro meu ciclo na Yamaha.”
    “A retrospectiva é muito boa para mim, três pódios incluindo uma vitória nas três últimas etapas. Estamos felizes em ver como progredimos e também com a melhora de meu ombro. Agora que retornamos à Europa e sinto-me tão forte que quero aproveitar as últimas corridas e vencer de novo.”

    Jorge Lorenzo:
    “Agora temos as duas últimas corridas de uma vez e ambas são muito especiais. A primeira é Estoril, onde tive uma de minhas melhores performances na MotoGP nas duas últimas temporadas, mas desde 2008 tenho duas vitórias!”
    “Gosto do circuito e me sinto muito bem. Parece muito com o GP da Espanha. Muitas pessoas de lá vêm para o circuito e aguardo apoio deles porque é a primeira vez que corro perto de casa desde que conquistei o título.”

    Casey Stoner:
    “Tenho um conjunto de resultados diferentes no Estoril – uns bons, como com a minha primeira vitória nas 250cc em 2005 e um pódio em 2007, alguns não tão bons, como quando tive um problema com a câmara onboard em 2008. Depois voltámos a estar no pódio em 2009, no ano passado fui muito rápido, mas o Jorge Lorenzo foi um pouco mais. Ele é um piloto muito forte neste circuito e penso que podemos esperar que o volte a ser no próximo domingo.”
    “Temos de nos concentrar no trabalho de afinação da moto. Sabemos há muitos ressaltos aqui e a nossa moto normalmente reage de forma agressiva aos ressaltos, pelo que temos de ver se conseguimos adaptar a afinação. A Bucati GP10 tem funcionado bem em todos os tipos de condições nas últimas corridas, estamos muito confiantes”.

    Nicky Hayden: 

    “O final do campeonato está à vista, mas temos ainda duas corridas pela frente onde podemos nos dar bem com a Ducati. Estoril é uma pista normal, não tem nada de especial, tirando uma seção muito rápida na reta interna e depois perto do final da volta com uma das mais lentas chicanes da MotoGP. A pista também é muito estreita, o que a torna exigente e, tendo em conta que está perto do mar, como na última etapa na Austrália, é ventosa e com tempo variável. De todas as formas, estamos preparados para qualquer situação e de olhos num final de campeonato positivo”.

    Daniel Pedrosa:
    “A princípio, a situação deve ser bem melhor do que a da Austrália. O circuito não exige tanto quanto Phillip Island, e isso deve me ajudar a me sentir mais confortável na moto.”
    “Além disso, tive mais tempo para me recuperar, o que deve ajudar também. Este tipo de lesão precisa de tempo para recuperação e, passadas mais duas semanas, estou realmente ansioso para ver quanto o meu ombro melhorou.”
    “Visitei o médico na terça para tirar os pontos, e a cicatriz está boa. Fiz mais reabilitação muscular e ganhei força, mas não vou poder julgar totalmente quanta diferença fez até que eu suba na moto na sexta de manhã.”

    “Em termos de desenho da pista o Estoril tem alguns pontos de travagem fortes e é algo irregular, mas o fato de ter mais curvas para a direita que para a esquerda é bom para mim. Por isso, estou desejoso de entrar na pista e ver como me sinto”.

    Carlos Checa e seu retorno à MotoGP, no GP de Portugal:
    “Eu não sinto qualquer pressão, tenho apenas que ir para a pista e me divertir muito fazendo o meu trabalho, esta será uma grande aventura para mim.”
    “Claro que uma moto Ducati da MotoGP é muito diferente da moto Superbike que tenho andado estes anos, mas vou tentar fazer o meu melhor para retribuir a confiança que a equipe italiana colocou em mim”.

    Loris Capirossi:
    “Foi decepcionante descobrir que eu tinha algumas pequenas fraturas no meu pé, mas isso não vai me impedir de pilotar, porque não me causou muitos problemas na Austrália, é mais fácil pilotar a moto do que caminhar.”
    “Passei por um tratamento intensivo no músculo da coxa, que também está bem melhor. Mal posso esperar para voltar à pilotar minha moto Suzuki e recompensar a equipe por toda a sua paciência e trabalho duro durante a temporada, principalmente após as três corridas em sequência que tivemos do outro lado do mundo, que não nos deram nada além de dor e danos na moto.”
    “A Suzuki e a equipe sempre foram boas comigo, e quero mostrar que estou aqui para fazer o meu melhor e competir com os melhores pilotos”.

  4. Christian Horner
    27/10/2010 às 8:49

    O chefe da equipe Red Bull, Christian Horner:
    “Foi o oitavo motor a ser utilizado por Sebastian Vettel e o ponto forte do motor Renault é a sua durabilidade.”

    “Obviamente não é a situação ideal, Vettel vai aprender a poupar equipamento. Esperamos que isso tenha um efeito sobre ele.”

  5. 26/10/2010 às 14:37

    Gostei da corrida, uma das melhores do ano na minha opinião. E realmente me impressionou a quantidade de trapalhadas do Sutil. Ele parecia uma barata tonta!o_O

    • KBK
      26/10/2010 às 23:25

      Eu também gostei. Alias, acho que gostei. Gostei do circuito, é de fato desafiador, mas o elemento chuva com certeza falou forte.Todo aquele atraso no começo ajudou a baixar as expectativas, também.
      Acho que nesse caso se encaixa a máxima da escola de samba Salgueiro: “Não é a melhor nem a pior, apenas diferente”

  6. Felix
    26/10/2010 às 7:00

    Com todos os erros a equipe do boi vermelho, mostrou que vai perder para ela mesma.
    Também não podemos tirar o mérito do piloto Fernando Alonso, que mesmo não tendo o melhor carro, fez as mudanças necessárias na equipe para com seus méritos ter essa chance dada de presente pelos pilotos da equipe Red Burr.
    Se o Fernando Alonso for o campeão, não podemos esquecer que ele é o único piloto da F1 atual, que sua meta é ser o campeão e para isso todos os meios são justificáveis:
    Veja com ele se impôs ao seu companheiro, na primeira corrida ele mostrou na primeira curva, depois em uma outra prova fez uma ultrapassagem suja fora da pista, mais adiante em uma tentativa de ser ultrapassado pelo seu companheiro de equipe, furou o pneu do Felipe e a última para acabar com todo o pensamento que Massa poderia ter, cobrou a primeira colocação que o brasileiro estava, mesmo sendo essa corrida a comemoração de um ano do acidente quase fatal onde Felipe Massa sobreviveu. Hoje tudo justifica, pois Alonso estaria somente com quatro pontos de vantagem na frente do Webber no campeonato.

    • Felix
      26/10/2010 às 8:42

      Nota 10 para o piloto espanhol Fernando Alonso, não pela vitória na Coréia e sim por ser um piloto que acreditou nele próprio, pois no meio do campeonato, onde eu e muitos riram pensando que era piada de um piloto sem o senso da realidade, pois a Ferrari estava péssima e o Fernando muito longe nos pontos, Alonso foi categórico: “tenho 50% de chance de ser o campeão esse ano pela Ferrari.” E quase completou avisando que os outros 50% poderia ser divididos com os outros pilotos que perdem pontos com seus próprios companheiros e os chefes dessas equipes´principalmente a Red Bull perde um campeonato mesmo tendo o carro muito superior.
      F1 romântica foi até o inicio dos anos 70.
      Gostaria de ver a cena dos chefes de equipes tentando explicar para os patrocinadores o inexplicável.

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s