Início > MotoGP > [MotoGP] Philip Island: Corrida

[MotoGP] Philip Island: Corrida

Imbatível

Que Casey Stoner é rápido todos sabem. Que por vezes surpreende até os colegas de profissão, também sabemos. Seu domínio em Philip Island também é conhecido, mas ainda assim, impressionante. Enquanto os outros pilotos – experientes ou novatos – reclamam das condições de clima, como chuva intermitente e rajadas de vento, Stoner se diverte pelas belas curvas do cirtuito australiano. Um circuito muito desafiador, com curvas longas, subidas e descidas, que me faz lembrar de circuitos como Spa-Francorchamps.

Mas a vitória de Stoner não foi tão fácil, assim como aconteceu com o resto do grid, a corrida do piloto local foi repleta de derrapagens e “sambadas” da moto. Desde o começo, tratou de acelerar o máximo, andando abaixo do tempo obtido por Lorenzo no qualifying. O espanhol da Yamaha – que foi o único a andar “perto” de Stoner – tentou acompanhar o líder. Agora sem pressão de conquistar o título, Lorenzo foi rápido do começo ao fim, o que lhe rendeu uma vantagem de 12 segundos para Valentino Rossi, mas não foi suficiente para vencer.

Terceira posição

Com a grande diferença já no qualifying, a principal disputa se desenhou pela 3ª posição. Spies e Simoncelli bem que tentaram, mas não conseguiram acompanhar as motos de fábrica, pilotadas por Rossi e Hayden. Depois de disputa entre os quatro no começo da prova, a partir da metade, Valentino se manteve à frente de Hayden.

Faltando 3 voltas para o final – talvez inspirado no próprio Valentino – Hayden realizou a ultrapassagem. Mas ao contrário do que “Il Bambino D’Oro” faz, o piloto da Ducati  não conseguiu se distanciar. Rossi, já na última volta, forçou a ultrapassagem e reassumiu a terceira posição, confirmando seu 3º pódium seguido. Nada mal.

Campeonato de Pilotos

Categorias:MotoGP
  1. FORMULA 1
    25/10/2010 às 6:06

    Nota 10 para o piloto espanhol Fernando Alonso, não pela vitória de ontem e sim por ser um piloto que acreditou nele próprio, no meio do campeonato, onde eu e muitos riram pensando que era piada de um piloto sem o senso da realidade, pois a Ferrari estava péssima e o Fernando muito longe nos pontos, Alonso foi categórico, “tenho 50% de chance de ser o campeão esse ano pela Ferrari”, e quase completou avisando que os outros 50% poderia ser divididos com os outros pilotos que perdem pontos com seus próprios companheiros de equipe e perde o campeonato mesmo tendo o melhor carro.

    • Felix
      25/10/2010 às 6:26

      Mesmo não torcendo por Fernando Alonso, tenho que admitir que é o único piloto da F1 atual, que sua meta é ser o campeão e para isso todos os meios são justificáveis, com seu companheiro o Massa, na primeira corrida ele se impôs na primeira curva, depois em uma outra prova fez uma ultrapassagem suja fora da pista, mais adiante em uma tentativa de ser ultrapassado pelo seu companheiro de equipe, furou o pneu do Felipe e a última para acabar com todo o pensamento que Massa poderia ter, cobrou a primeira colocação que o brasileiro estava, mesmo sendo essa corrida a comemoração de um ano do acidente quase fatal onde Felipe Massa sobreviveu.
      Hoje tudo justifica, pois Alonso estaria somente com quatro pontos a frente do Webber no campeonato.

  2. Felix
    22/10/2010 às 7:59

    MotoGP
    Na cidade de Palma de Maiorca na Espanha, o jovem piloto espanhol Jorge Lorenzo foi aclamado na sua cidade natal, o entusiasmo com o novo campeão mundial foi comemorado em toda a cidade.
    Logo que chegou no aeroporto de Palma, o Presidente da Air Europa, a empresa é uma das principais patrocinadoras de Lorenzo, mostrou um avião Boeings re-baptizado de “Lorenzo’s Land” em sua honra.

  3. FORMULA 1
    20/10/2010 às 8:52

    Ross Brawn:
    “No início de 2009, tivemos de reduzir um grande números de funcionários, obviamente teve um impacto forte em muitos setores, nossa equipe de design não era suficiente para trabalhar no carro 2009 que estava disputando o título e um novo carro 2010, o resultado foi que projeto pouco ambicioso, conservador demais na verdade, também não poderíamos fazer diferente, os recursos não eram suficientes. Agora na Mercedes para 2011, temos um grupo de jovens engenheiros que querem mostrar seu valor, portanto estamos ambiciosos novamente.”

    “Contudo, a partir de 2011, devido ao pacto das equipes com o real processo de redução de custos, devera ser igual para todas as equipes, apesar de eu não acreditar que equipes como Ferrari ou McLaren, vão se comprometer demais.”

    • KBK
      21/10/2010 às 22:07

      Eu já adicionaria a Mercedes na lista das que não ficarão dentro do limite estipulado.

  4. Flavio briatore
    20/10/2010 às 8:01

    Flavio Briatore:
    “Vamos ver como será meu retorno à F-1 em 2013, já tracei uma linha final para o cargo de chefe de equipe, mas isso não significa que estou dando adeus à F-1,muito longe disso, não existe ninguém na F-1 mais honesto do que eu”.

    • Felix
      20/10/2010 às 8:05

      Penso que um cargo perfeito para Briatore será na máFIA, a máFIA merece o melhor de todos.

    • KBK
      21/10/2010 às 22:05

      Ofendeu a todos com isso. Eu não deixava barato.

      • Felix
        22/10/2010 às 7:57

        KBK, nessa eu tenho certeza que não é mentira, chefe de equipe é igual a político brasileiro.

  5. FORMULA 1
    19/10/2010 às 13:57

    O piloto venezuelano Pastor Maldonado, campeão da GP2 desse ano, será o companheiro de Rubens Barrichello na equipe Williams em 2011, o contrato foi assinado em Caracas, com a presença de um membro da Williams e a companhia de Petróleos da Venezuela, a principal patrocinadora do piloto venezuelano.

    Nem o grande talento de Nico Hülkenberg, que também tem no seu curículo o campeonato da GP2 de 2009, foi suficiente para permanecer como piloto da equipe Williams.
    Williams, perdeu patrocinadores fortes: Real Bank of Scotland, Philips, AirAsia e McGregor e não podia perder essa oportunidad.

    • Felix
      20/10/2010 às 5:41

      KBK, penso que todos os pilotos que chamamos fora de série de todos os tempos não teriam vez na F1 atual, quando o fenômeno do campeonato que Hamilton fez no seu primeiro ano, aparti desse campeonato as pessoas passaram a olhar os novos piloto entrando nas equipes e já massacrando os pilotos com experiência, independente se hoje os treinos são restritos.
      Na minha visão de anos acompanhando a F1, gostei muito do Nico no seu primeiro ano, via um potencial muito grande e estava preocupado com o nosso grande Rubinho em 2011, que teria que enfrentar um Nico conhecendo o carro e as pistas.
      Rubinho, com essa mudança de parceiro, terá mais uns dois anos soberano na equipe e não faço muita fé no piloto venezuelano.
      É pena uma F1 tão cruel com tantos valores novos e a torcida também cobrando algo muito mais no primeiro ano dos novos talentos.

      • KBK
        21/10/2010 às 22:04

        Concordo, Felix. Maldonado não me inspira muita confiança. Ao contrário de Hülkenberg, Pastor é rápido somente “às vezes” e comete mais erros que o alemão.

        Sobre os hérois do passado, acho que teriam dificuldades, mas creio que muitos deles iriam se adaptar à situação atual e talvez se sobressair. Se compararmos uma equipe de hoje com as das primeiras 3-4 décadas da categoria, as antigas eram extremamente amadoras. Tanto o conhecimento em engenharia quanto às condições de testes evoluiram brutalmente nesses anos.
        Juan Manuel Fangio, por exemplo, nunca deve ter visto um dado de telemetria durante sua carreira, qualquer evolução na pilotagem teria de partir de si próprio.
        Assim como concordo que alguns pilotos do passado “não teriam vez” na F1 atual, tenho certeza que muitos de hoje não teriam vez na F1 do passado.
        Concordo, entretanto, que tivemos uma “nova geração de notáveis” enquanto acabava o domínio de Schumacher.
        Ou será que Alonso-Hamilton-Vettel devem muito pra Mansell-Piquet-Prost-Senna ? Por exemplo.

  6. FORMULA 1
    18/10/2010 às 9:51

    Bernie Ecclestone:
    “Todas as equipes deveriam assegurar um gerenciamento adequado de seus próprios negócios, e não se preocupar com os outros.”

    “O que é bom para a Fórmula 1 é bom para todos os envolvidos – equipes e companhias. Muitos pensam apenas no que é bom para sua equipe. O mesmo acontece com as regras – só pensam no que pode fazer para obter vitórias, mesmo se for algo irregular.”

    “Eu não chamaria de ego das equipes, mas é mesmo estupidez, elas deveriam pensar no lado global, pois quase todas são bastante competitivas e querem vencer, o que eu apoio completamente, mas precisam querer vencer nos mesmos termos, nas mesmas regras, e não tentar obter vantagens.”

    “Se conseguirem ter essa vantagem porque projetaram um carro melhor, tem um grande piloto ou uma melhor estratégia, ótimo. Mas não deveriam tentar desviar as coisas a fim de que possam começar sabendo que tem uma vantagem. Muitas equipes gostariam de ter um motor maior do que os outros, o que realmente esse não é o caminho correto a ser seguido”.

    • FORMULA 1
      19/10/2010 às 8:23

      O grupo Volkswagen vai decidir se entrar ou não na Formula 1.
      Hans-Joachim Stuck, representante do grupo do setor de esporte, declarou que ainda não pode comentar sobre a possível investida na Formula 1, uma reunião marcada para novembro e a estratégia será discutida.

      O presidente da Porsche, Matthias Müller, manifestou o interesse em voltar à F1. A fabrica Porsche faz parte do grupo Volkswagen, como também a fabrica Audi, essas duas fabricas do grupo tem seu forte na velocidade. Uma delas pode receber autorização para entrar na categoria em 2013, com os novos motores 1,5 turbo, a Volkswagen está olhando com bons olhos para a categoria.

    • FORMULA 1
      20/10/2010 às 9:06

      Hermann Tilke, o arquiteto do circuito da Coréia:
      “O único problema que o asfalto novo vai causar é em termos de aderência.”
      “A falta de aderência não será um problema, porque temos os melhores pilotos do mundo. Além disso, as condições serão as mesmas para todos. Não haverá nenhum problema de quebra da pista.”

      “Acredito que, na sexta-feira, a superfície da pista estará muito escorregadia, porque é totalmente nova. Isso significa que vocês provavelmente verão algumas rodadas. E não será fácil encontrar o acerto para sábado e domingo, porque o circuito mudará bastante. Isso significa que alguns pilotos escolherão o acerto errado, porque terão de adivinhar qual é o caminho certo a ser seguido.”

      “Eu nem sempre estive convencido de que iria acontecer, mas você tem de analisar os grandes problemas e então fazer alguma coisa para resolvê-los. Não foi apenas nosso esforço, é claro que ajudamos, mas a companhia de construção e todos aqui trabalharam duro.”

      “Os atrasos começaram logo no início, porque é um terreno pantanoso aqui e tivemos de drená-lo antes. A água demorou muito tempo para sair, algo acima de um ano, o terreno depois precisou ser compactado, portanto mais tempo foi necessário. E, é claro, a temporada de monções foi mais longa do que o esperado. Tivemos muitas coisas assim.”

      “Os sistemas principais funcionarão bem, mas talvez algumas coisas pequenas não funcionem. E devido ao fato da pista não ter sido testada, pois ficou pronta muito tarde, provavelmente teremos algumas surpresas também. Mas todas as coisas principais estarão certas”.

  7. Felix
    18/10/2010 às 8:24

    Jorge Lorenzo, na Austrália, festejou a sua 50ª corrida na MotoGP na categoria rainha, com números incríveis, essa foi a sua 32º subida ao pódio ao ser o segundo colocado na pista de Phillip Island.
    Lorenzo, é o piloto campeão, a Yamaha com ele e com o Valentino, comemoraram também o campeonato de equipes na corrida Austráliana.
    O jovem campeão Jorge Lorenzo, tem apenas 23 anos e comemorou:
    “Hoje ganhámos o Título de Equipes, vou seguir na Yamaha, trabalhamos ao máximo e estamos comemorando a força da equipe, sem deixar de pensar nas duas últimas corridas, 2011 não pode ser esquecido, Honda, Ducati e Suzuki vem com tudo no próximo ano, mas hoje é um dia para comemoramos.”
    Esse foi o 14º pódio do campeonato.
    Lorenzo:
    “Gosto mesmo de correr aqui, na corrida de hoje foi divertido escorregar um pouco com a minha yamaha M1. Estamos de regressando para à Europa e tenho a minha primeira oportunidade de ir a casa, a Maiorca, comemorar o título de Campeão do Mundo da MotoGP com os meus amigos e minha família.”

    Lorenzo, vai pilotar sua moto nas duas próximas corridas para tentar superar os pontos record que Valentino Rossi conseguiu em 2008 que foi de 373, que ninguém duvide do campeão espanhol.

    • Ben Spies
      19/10/2010 às 5:33

      Ben Spies:
      “Estou muito feliz por ser o Estreante do Ano. Ganhei em um grupo de bons rivais, e será uma conquista que poderei me sentir orgulhoso ao final da temporada.”

      “Tive alguns bons resultados nesse período de três semanas, e agora estou desejando que cheguem as duas últimas provas. Gostaria de conseguir outro pódio, essa é minha meta. Vamos andar o mais forte que pudermos nestas duas últimas corridas”.

  8. Felix
    17/10/2010 às 16:09

    Casey Stoner:
    “Quando eu ganhei duas vezes seguidas e fui para a terceira vitória, ninguém de fato esperava por isso. Mas, este ano, parece que todos realmente esperavam por isso a vitória, não por qualquer outro resultado, eu senti um pouco dessa pressão antes da corrida, estava um pouco nervoso – mais até do que normalmente sou.”

    “Temos lutado pela vitória nos últimos quatro fins de semana. Conseguimos vencer três dos últimos quatro, mas eu escorreguei na primeira volta da corrida da semana passada depois de cometer um pequeno equívoco. Mas este foi um fim de semana muito bom para nós. O apoio dos fãs foi fantástico. Foi só o tempo de eu ir para a corrida e fazer o meu trabalho”.

    Jorge Lorenzo:
    “Sabíamos que o Casey Stoner seria difícil de ser superado hoje! Dei o meu melhor, andei o mais forte que pude no início e às vezes parecia que eu estava me aproximando um pouco, mas na volta seguinte o Casey voltava a aumentar a vantagem em alguns décimos. Continuei tentando, mas não tinha muita esperança e no meio da corrida decidi que era melhor não correr riscos.”

    “Gostei mesmo de correr aqui e de escorregar um pouco com a minha M1, foi divertido, mas hoje a corrida foi do Casey. Foi bom terminar no pódio e agora estamos de volta para Europa. Tenho a minha primeira oportunidade de ir para casa como campeão do mundo e celebrar com os meus amigos e família”.

    Valentino Rossi:
    “Um pódio é bom, especialmente quando você começa partindo da terceira fila, eu esperava ser um pouco mais rápido durante a corrida, só que tive alguns problemas. O meu acerto não era perfeito, nós lutamos muito durante os treinos.”

    “Ele fez seu ataque há duas ou três voltas do fim, por isso tive que lutar na última volta. Foi divertido, e eu estou muito feliz com o pódio.”

    “Ontem a noite, eu falei com Furusawa, e ele disse que a Yamaha, liberou e eu posso testar com a Ducati depois do GP de Valência. Eu acho que é a decisão correta depois de tudo o que passamos juntos e foi uma maneira de me agradecerem pelo meu trabalho e pelo meu comprometimento. Eu gostaria de agradecê-los, foi gesto de esportista. E também com as limitações de treinos, não é você que decide quando vai testar”.

    Nicky Hayden:
    “Foi bom, uma batalha difícil e estou muito desapontado por ter perdido. Eu ficaria mais tranquilo se fosse a batalha pela vitória, mas com Valentino, a disputa por qualquer posição não é fácil.”

    “Não quero ficar inventando desculpas ou ser um bebê chorão e dizer ‘talvez se eu tivesse feito isso ou aquilo, isso seria diferente’ porque, no fim das contas, eu fui o quarto colocado, eu fui vencido. Sinto-me para baixo porque eu adoro essa pista e me sinto bem nela, e vencer Rossi na última volta teria sido muito bom para mim.”
    “Sinto que decepcionei a equipe, já que eles me deram uma ótima moto para eu fazer o trabalho, mas eu não o fiz”.

    Vittoriano Guareschi, chefe de equipe da Ducati:
    “Nicky fez uma boa corrida – ele foi rápido, determinado e ele perdeu o pódio para Valentino. Na Espanha em Aragon, ele venceu uma batalha muito parecida, hoje ele perdeu, mas o importante é que ele estava lá, pilotando da forma que estava e em uma posição de disputa pelo pódio”.

    • Felix
      17/10/2010 às 16:28

      O Diretor de projetos da Ducati Alessandro Cicognani:

      “Não ouvi o que o Valentino Rossi ou a própria Yamaha disseram, mas fui informado disto e estou mesmo contente. Penso que é como um presente da Yamaha para o Valentino depois de tudo o que fez por eles.”

      “Estamos contentes com isto e, de certa forma, queria agradecer à Yamaha. Tenho boas relações com o Lin Jarvis e aproveito esta oportunidade para lhe agradecer porque ele foi sempre justo e esteve sempre aberto à discussão. Não é fácil e é fantástico. Por isso, agora vamos trabalhar e terminar o campeonat e depois começar de novo para 2011 logo após a corrida de Valência.”

      “Penso que este teste é importante para todos porque, devido às restrições de testes, é justo todos terem a oportunidade de testar a moto que vão usar no ano seguinte. Ele vai mesmo testar a moto de 2011 e vamos ver. Estamos a trabalhar nisso!”

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s