Início > Formula1 > Austrália: Corrida

Austrália: Corrida

O que os fãs queriam

Schumacher é o piloto mais popular. Ferrari é a equipe mais querida (e odiada). O piloto da casa com um carro competitivo e em boa forma. O travesso Hamilton é sucesso. Várias celebridades, como Ian Thorpe e John Travolta. Ex-pilotos…tudo isso é ótimo.

Mas o que o público realmente queria ver era: A CHUVA.

A chuva

Não só a chuva, mas a mudança de condição da pista, secando aos poucos desde o início, até o momento em que os pneus intermediários já não eram ideais. Jenson Button foi o primeiro a trocar para os slicks. Na volta de retorno, Button fez os melhores setor2 e setor3 até então. A maioria das equipe percebeu a melhora e parou na volta seguinte, exceto a Red Bull e pequenas. Button consegue ultrapassar Kubica, também com slicks, ficando em 3° e tendo a sua frente comente as 2 Red Bull e Sutil, que iriam fazer a troca ainda.

Por sorte, a vantagem de Vettel foi suficiente para que trocasse os pneus e voltasse na frente de Button na volta seguinte, que vinha voando pela pista devido aos seus pneus já aquecidos. O alemão levou meia volta para se acostumar e logo já estava mais rápido que Button. A corrida estava se encaminhando para algo mais tranqüilo, a condição de pista seca. E a Red Bull de Vettel continuava como favorita.

Mas, e a Largada?


A corrida começou emocionante desde a largada.

– Dos ponteiros, só Massa (P5) e Vettel (P1) largaram realmente bem. Vettel manteve P1 e Massa pulou para P2.  Kubica (P9) e Schumacher (P7) vieram bem. Todos no lado limpo. Webber caiu para P3.

-A largada do Alonso (P3) foi desastrosa, não tracionou bem e ficou a mercê de quem vinha atrás. Na primeira curva, Schumacher (P7) já estava o ultrapassando por fora.

– Button (P4), que largou tão mal quanto Alonso tentou colocar por dentro do espanhol na curva. O toque ocasionou a rodada de Alonso e quem pagou o preço foi Schumacher que iria pular para P4.

– Kubica (P9 no grid), que já havia passado Barrichello (P8) e Rosberg (P6), escolheu o lado certo para evitar a confusão e assumiu P4.

– Schumacher, que teve que trocar o bico, e Alonso estavam destinados a corridas de recuperação.

– Ainda na primeira volta o Safety Car fez o trabalho de aproximar os carros.

A estratégia

Assim que acondição de pista seca se estabeleceu, pudemos perceber 2 estratégias distantas: seguir com pneu slick até o fim da corrida ou fazer mais uma troca.

O melhor exemplo é a McLaren, que decidiu usar cada piloto com uma das estratégias, preservando as características deles. Assim, Hamilton optou pela estratégia de 2 paradas, enquanto Button utilizou-se daquilo em que é o verdadeiro número 1, a economia de pneus.

A julgar pelos resultados da Ferrari (sem trocar) contra Hamilton, a opção de 1 parada foi mais eficiente. Principalmente devido à dificuldade de ultrapassar (sim, existiu).

Essa foi a primeira demonstração de que sem reabastecimento as estratégias podem ser alteradas mais facilmente.

A recuperação: Alonso e Schumacher

A recuperação de Alonso foi espetacular, conseguia ultrapassar os adversários sem perder muito tempo. Por mais de uma vez fez a volta mais rápida, ainda de pneus intermediários. Mesmo quando voltou a pingar, Alonso fazia as melhores parciais da pista, sendo mais de 1 segundo mais veloz que os líderes em alguns momentos. Não demorou muito para escalar o pelotão, e algumas voltas após colocar pneus slick já estava junto de seu companheiro de equipe. Entretanto, se viu impedido de ultrapassar Massa, principalmente por temer um abandono duplo. A cortesia de Massa na primeira curva no Bahrain já foi devolvida, e com sobras.

Schumacher, por outro lado, não conseguiu o mesmo desempenho. Era rápido com pista livre, mas tinha muita dificuldade em ultrapassar. Ficou preso atrás de Jaime Alguersuari por mais de 15 voltas e depois disso, não conseguiu ulrapassar De la Rosa, sendo o primeiro a trocar seus peus slick por um novo jogo. Acabou por fazer 1 troca a mais que seus adversários e no fim da corrida ficou preso novamente atrás de Alguersuari e De la Rosa, ultrapassando este último só na penúltima volta.

O ‘X’ da questão

O xis da prova foi de uma Virgin. Durante a prova de recuperação de Schumacher, quando tentou ultrapassar Glock pela primeira vez, levou um ‘X’ digno de um quadro no box da Virgin. Quem diria que o professor viraria aluno.

Massa, Alonso, Hamilton e Webber

Desde o momento que Hamilton e Webber pararam para trocar seus pneus slicks por um jogo novinho em folha, ficou claro que isso iria acontecer. Enquanto as Ferraris andavam em 1:30.4 , tentando poupar os pneus de um desgaste excessivo, Hamilton e Webber vinha destruindo os seus, rodando na casa de 1:28.5 . E faltando 9 voltas, a diferença de Alonso para Hamilton já estava na casa de 1 segundo.

Alonso, então com seus pneus muito desgastados – não só pelo número alto de voltas que já havia rodado, mas também por sua corrida de recuperação – teve que fazer o papel de escudeiro de Felipe Massa. Defender-se de dois carros em melhores condições, ainda mais sendo um deles Lewis Hamilton – provavelmente o melhor em ultrapassagens – não seria coisa fácil. Mas Alonso o fez de maneira digna a um bi-campeão, assim como foi sua corrida de recuperação.

Eventualmente, quando Hamilton partia com muita ação pra cima de Alonso, Webber se afobou e acertou o jovem inglês, lhe atrapalhando pela segunda vez na corrida. “E o troféu vaca-loca de hoje vai para Webber” – Ivan Capelli, o fake.

Esse acidente acabou com a possibilidade de vermos uma disputa de posição que tinha boas chances de entrar pra história. As condições, o cenário e os pilotos eram os ideais para o espetáculo. Uma pena.

A tocada suave e a aposta de Button #1

Jenson foi o primeiro a trocar os pneus intermediários pelos slicks macios. Essa escolha parece ter sido mais pelo desgaste excessivo de seus pneus intermediários do que confiança nos macios, o importante é que deu certo. Ele que estava em 6° quando parou, conseguiu ficar em 3° após todos mudarem para slicks. Foi muito competente ao ultrapassar Kubica e viu Vettel abandonar à sua frente.

Além disso, teve a oportunidade de mostrar o seu principal atributo como piloto, a “tocada suave”. Button é gentil com o carro, não o atira em cima das zebras, posiciona-o cuidadosamente em cada curva que faz. Não se permite movimentos bruscos. Guia sem freadas “em cima” da curva enem acelera muito cedo. Assim, conseguiu conservar extremamente bem seus pneus, melhorando seu tempo progressivamente durante toda segunda metade da corrida.

Não é mais rápido que o Hamilton, mas as vezes, isso não é necessário.

Hamilton showman

– Ultrapassou o Button na volta 6.

– Passou Barrichello na volta 11.

– Mergulhou por dentro no Massa e depois por fora no Webber, que sai da pista atrapalhando sua trajetória, na volta 16.Massa o passou.

– Passou Massa na volta 22 depois de um erro do brasileiro na entrada da reta. Hamilton chegou a tocar no pneu traseiro direito do Massa com sua asa dianteira e perdeu um pequeno apêndice.

Na volta 26, colocou por fora na 11 sobre Rosberg, o alemão estava generoso demais e facilitou pro showman. Uma bela ultrapassagem mesmo assim. Se fosse sobre Alonso, Massa, Vettel, Schumacher, Webber ou Button, Hamilton estaria fora da corrida. “Eu nunca havia visto uma ultrapassagem por fora na 11 e 12” – Martin Brundle

Na volta 30 colou em Kubica, mas ao contrário de seu companheiro de equipe, não conseguiu ultrapassar o polonês.

Na 33, não soube esperar atrás de Kubica durante a 11 e 12 perdendo a oportunidade de ultrapassar na 13.

Na 35 trocou os pneus para poder “acabar” com um jogo novo. Andou rápido já na volta de retorno à pista.

Na 51, não soube esperar atrás de Alonso durante a 11 e 12, novamente.

Volta 53: “Meus pneus acabaram”

Volta 55: “Por que vocês me mandaram trocar pneus? Foi uma idéia horrível”

Volta 56, conseguiu se manter perto do Alonso durante 11 e 12, colocando por fora na 13. Pena que veio o “vaca-loca” do dia pra bater nele.

Nota 10 pelo show. Mas pelo conjunto da obra, fica com nota 8,5.

Kubica

Foi agressivo no começo, quase conseguiu passar Webber por 2 vezes. Quase passou o Massa na volta 7, se manteve perto o suficiente pra poder ganhar a posição no pit. Depois disso, resistiu à pressão de Hamilton por 7 voltas e também do próprio Massa por boa parte da corria. Foi consistente e levou a Renault a um inesperado 2º lugar. A nota 9,5 da pilotagem é arredondada pra nota 10 em função do resultado.

Barrichello

Não teve uma largada boa, mas conseguiu evitar o acidente na primeira curva. Seu rítmo não foi o esperado, mas conseguiu levar sua Williams a uma boa posição. Ultrapassou De la Rosa na volta 51, assumindo o 9° lugar. Três pontos para o barrica e uma nota 6.

Liuzzi

Vinha 2 posições atrás de seu companheiro no começo. Fez uma boa corrida, mas o carro ajudou. Se Sutil não tivesse problemas no motor, provavelmente ficaria na frente do Tônio, como é o costume. Nota 6,5.

Rosberg
Uma corrida “diplomática”. Andou razoavelmente rápido, mas perdeu todas as disputasde posição que participou. Bater Schumacher deveria aumentar sua confiança, mas por algum motivo ele parecia “um retardatario em um carro bom”. Pela velocidade, receberia nota 8, mas fica com nota 6 pela ausência de combatividade.

Vettel

Fez o que podia, largou muito bem. Manteve sua vantagem no começo, conseguiu resistir ao ataque de 1 volta de Button e então abriu mais de 5 segundos sobre o inglês, mas o carro o deixou na mão mais uma vez. Nota 9 de 9.

Uma volta antes de sair, avisou à equipe que havia uma vibração na traseira do carro. A equipe começou a se preparar para uma troca de pneus e 2 segundos depois o Vettel foi pra brita.

“Sim. Uma volta antes eu já havia sentido que algo estava errado. Havia faíscas na roda dianteira esquerda (mesma que num treino em Bahrain). Nós não sabíamos o que era, queria ir pro box naquela volta, mas algumas curvas antes senti uma vibração enorme e aumentando e na aproximação da curva 13, gentilmente e com precaução, mas não resolveu. E assim que toquei no freio o disco explodiu, ” – Vettel, quando perguntado se foi um problema de freio.

Button

Desde a volta 30 estava preocupado com seus pneus traseiros, perguntando a equipe como eles (pneus) estavam. “Nós vamos ter que poupar os pneus traseiros, seja gentil com eles”

A aposta certa pelos pneus slicks (decisão dele) e o bom rítmo sem acabar com os pneus lhe renderiam nota 10, mas vai perder meio ponto pela largada fraca e baixo rendimento no começo. Nota 9,5.

Schumacher

Na volta 17, não soube esperar atrás de Alguersuari durante as curvas 11 e 12.

Ficou muito tempo preso atrás de Alguersuari, depois, não conseguiu passar o De la Rosa e fez seu pit na volta 30.

A equipe teve que pedir “por favor, tente ultrapassar o Alguersuari”. Na volta 54, graças a um erro do espanhol, ele consegue.

Conseguiu passar o De la Rosa na penúltima volta, chegando em 10° lugar. Nota 4.

Massa

Largou muito bem.

Foi ultrapassado pelo Webber na volta 28 e Alonso ficou atrás dele, pro resto da corrida, como seu escudeiro. Cometeu vários erros durante toda a corrida. No final, conseguiu andar relativamente bem, mas ainda assim bem abaixo do limite do carro. Seria nota 4, mas pela largada e pelo resultado, fica com nota 6.

Webber

Passou Massa na 6ª volta, depois de um erro do brasileiro.

Passou Massa na volta 16 e o Hamilton aproveitou pra ir junto. Então quase tirou o Hamilton da pista e Massa passou os 2.

Passou o Massa na volta 28, curva 14. Trocou pneus na volta 33. Ganhou a disputa com Rosberg quando o alemão voltava do pit.

Andou rápido depois do pit, provando que seu carro é muito veloz. Na volta 36 não conseguiu aproveitar um erro de Hamilton para ultrapassá-lo. Acompanhou Hamilton na caça às Ferraris até o acidente faltando 2 voltas. Culpa do australiano.

Teve seus momentos, andou rápido quando pode, mas errou demais. Nota 4.

Alguersuari

Segurou Schumacher até a volta 26. Depois do último pitstop do alemão, segurou-o novamente. Fica com nota 6,5 só por isso.

Sutil

Na volta 8 errou e perdeu posição pra De la Rosa, Liuzzi e Alguersuari. Abandonou na volta seguinte com problemas no motor. Sem nota.

Alonso

Deixou massa ficar na frente na 22 e acabou perdendo posição pro Webber por isso.

Quando Hamilto se aproximava perigosamente no fim da corrida, volta 49 de 58, o asturiano proporcional o diálogo mais engraçado da prova: “Fernando, Hamilton está a 3,5 de você” e a resposta “OK, eu não quero saber”

Completando a volta 51, “pisou” na grama entrando na reta, jogando poeira na cara de Hamilton e Webber. Teria sido proposital ou distração?

Pela largada desastrosa e a fechada sobre Button, perde 1 ponto e fica com nota 9.

Petrov

Ganhou 8 posições na primeira volta (P18 a P10).  Provavelmente pneu furado, volta 10.  Sem nota.

A Menina Má

Luscious Liz deu a impressão de ser temperamental no Bahrain, quando em certo ponto da corrida parou de colaborar com Vettel no estilo “não quero mais brincar”. Mas foi um engano, a tal Liz é uma garota sádica. Uma hora parece um foguete, na outra simplesmente não freia.

Do outro lado, Mark Webber, que piloto a irmã de Liz, abusa da pobre garota levando-a a lugares que não gostaria de ir e mesmo assim sai impune. A vida não é justa.

Replay

Assim como ano passado, Kubica disputa o 2° lugar no fim da corrida. Esse ano não teve Vettel pra atrapalhar.

Idem, Hamilton se envolve em acidente nas últimas voltas.

Idem, vitória de Button.

Red Bull e o pneu intermediário

Diferentemente de maioria das outras equipes, incluindo McLaren e Ferrari, Vettel e Webber reportavam ao pit que seus pneus estavam se corportando bem. Hamilton e Button, por exemplo, avisavam que seus pneus haviam “acabado”. É bom ficar de olho em corridas futuras.

McLaren é o melhor carro?

Dificilmente. O rendimento do Webber parecia melhor que do Hamilton, enquanto o Button só conseguiu abrir 18 segundos sobre a Renault do Kubica. Alonso, sem os problemas na primeira volta, poderia muito provavelmente alcançá-lo. Ainda acho que a McLaren é a terceira força, mas segue de perto as outras.

Renault melhor que Mercedes?

A dificuldade em temperaturas baixas parece continuar na ex-Brawn. Mas mesmo assim, Rosberg terminou a corrida bem próximo a Kubica, que fez uma corrida sem erros. A Mercedes ainda parece superior, mas a Renault se credencia como a favorita ao título de “melhor do resto”, ou “best of the rest“, que soa melhor.

Austrália é o gás da coca?

Não. É uma pista muito boa e que de fato tem bons pontos de ultrapassagem, alem de ser desafiadora. Mas o “gás” dessa corrida foi a chuva e as diferentes estratégias. Entrou pra história mesmo assim. Download da corrida no post anterior. =)

São Karun

O indiano Karun Chandhok realizou um milagre na tarde de domingo em Melbourne, dia 28/03/2010. Conseguiu completar a prova, aquilo que não só ele, mas muitos outros achavam impossível para um piloto à bordo de uma Hispania. Diferentemente de Glock, soube abrir passagem para os líderes, cinco vezes.

A regra dos 55 metros virou 30 metros

Devido ao fato de o pitlane ser muito estreito no circuito de Albert Park, a velocidade máxima é menor. Felizmente, o pessoal da FIA soube se adaptar à situação e reduziu a distância para 30 metros. Porém, para circuitos onde o pitlane é “normal” a distância de 55 metros deve vigorar.

Mesmo sendo apenas 30 metros, a polêmica regra cobrou seu preço, casos de Massa e provavelmente Hamilton.

Outra regra nova

Ouve mais uma alteração relativamente importante esse ano, na questão de Safety Car. Ao contrário do que vigorou por muitos anos, a partir desse ano, quando o Safety Car volta para o box, é permitido ultrapassar o carro que está à frente antes de cruzar a linha de chegada. Se não me engano, isso não foi permitido por muitos anos até então.

Eu fiquei sabendo dessa agora, não sei se já sabiam.

As rodas

Aparentemente as equipes haviam concordado em não utilizar as “calotas” esse ano, mas Ferrari e Force India conseguiram contornar o regulamento e têm rodas com saliências especiais.

O louco

Este no caso, sou eu. O motivo era os xingamentos aos pilotos que tentavam ultrapassar na curva 11, sendo que ali é o pior lugar pra ultrapassar. É só tentar ficar perto durante a 11 e 12 que na curva 13 será tiro e queda. Por algum motivo eles não ouviram.

Eu gostaria de fazer aqui uma menção especial a Jenson Button. Pois ele, na volta 9, fez exatamente isso e conseguiu ultrapassar o Kubica, coisa que nem Hamilton conseguiu. Venceu a corrida ali.

McLaren dividida?

A atitude de Hamilton ao criticar abertamente sua estratégia pode ter sido o divisor de águas para o pessoal McLaren. Jenson está sendo muito elogiado dentro de equipe, não só por sua performance. A equipe cita característocas opostas a Hamilton: “Jenson é um cara muito tranqüilo. Muito relaxado, maduro. E a informação que ele nos retorna é muito boa e fazemos progresso o tempo todo. Muito metódico. É o começo de uma ótima relação e estamos muito positivos quanto a ele.”
Nos anos anteriores a atitude de Hamilton não causaria preocupação, mas nesse ano, seu companheiro é outro inglês e atual campeão mundial. Será que a equipe mantém o mesmo carinho que sentia por Hamilton?

Lewis depois da corrida: “Provavelmente uma das [melhores] pilotagens da minha vida. E infelizmente, devido à estratégia, fiquei bem para trás. E depois tirado pelo Mark Webber. Ou seja…eu estou feliz como trabalho que EU fiz. Realmente corri com o coração hoje e acho que merecia mais do que recebi.”

Perguntado se a estratégia estava errada: “Eu só sei que o pessoal faz sempre um ótimo trabalho, mas a estratégia não estava certa. Todo mundo na nossa frente fez 1 pitstop e por algum motivo eu fiz 2.”

Quem mandou você fazer isso?  “não sei, mas vamos descobrir”

A última Virgin

Depois que o milagreiro Chandhok completou a corrida com sua Hispania, a equipe de Timo Glock e Lucas Di Grassi é a única que não terminou uma corrida. Além disso, o carro de CFD dá impressão de mais o mais lento do grid.

O japonês doido

Kobayashi já mostrou que não tem medo de gente grande, mas ainda não convenceu como piloto. Dessa vez, em função de um toque, perdeu a asa dianteira, que ficou presa abaixo de seu carro e assim tirando os pneus dianteiros do chão. Um acidente foi inevitável, então. Buemi e Hulkenberg foram os prejudicados.

Pérolas da dupla

“Ah, Alonso…agora é o Barrichello, agora não é tão fácil”

Na curva seguinte Alonso ultrapassa Rubinho.

“É mais um campeão fora da corrida”

Quando Button colocou pneus slicks.

Schumacher e Di Grassi!!”

Quando Schumacher ultrapassava o Kovalainen. Confundir Virgin com Lotus não é pra qualquer um….

Agressividade nas ultrapassagens

Muitos criticam o estilo de Lewis Hamilton em disputas de posição, eu incluso. Mas com uma maré tão baixa como foi no Bahrain, talvez todos devessem considerar esse “ímpeto exagerado” como normal. Talvez assim o espetáculo já fosse um pouco melhor. Foi ótimo na Austrália, mas o futuro não me parece tão promissor.

Outros reviews:

Blog do Capelli

Blog Formula 1 e aqui também

Continental Circus

Corrida de F1

F1 Around

Categorias:Formula1
  1. Vito
    30/03/2010 às 18:34

    Não se notaram mas há algo muito diferente nesse pódio, e isso é muito bem retratado na foto que anuncia este post. Os 3 pilotos do pódio estão felizes! Os 3 ficaram satisfeitíssimos com a posição alcançada ao final da corrida.
    1. Button: mostrou que tem “balls” quando decidiu entrar antes nos pits… e segurou o carro com pneu de pista seca quando essa ainda não er a condição.
    2. Kubica: Aquela famosa frase que “o 2o é o primeiro perdedor” definitavamente não se encaixa nesse pódio. O polonês é um daqueles caras que tem que ser campeão um dia (obviamente por outra equipe, não pela Renault-chassi-de-walkie-machine).
    3. Massa: Fez boa corrida no Bahrein, mas foi mal na largada. Agora foi muito bem na largada, podendo se dar o luxo de não ter sido um dos melhores na pista mas ficar no pódio.

  2. KBK
    30/03/2010 às 14:07

    É, parece que sim Luiz. O Alonso ignorou a presença do SC. Aguardemos uma punição ou explicação da FIA.

  3. Luiz Sergio
    30/03/2010 às 12:53

    E o Alonso que ultrapassou com bandeira amarela?

  4. KBK
    29/03/2010 às 20:13

    Parabéns a você, Claudio. É um dos primeiros que vejo usando a relação de pesos e medidas corretamente!

    Os pneus, quase afirmo que os de Hamilton não durariam. Pra aguentar até o fim, ele teria que estar poupando-os desde que os “calçou”, e isso ele não fez.
    – Se, e somente se, tivesse conseguido passar Kubica, a história da corrida poderia ser outra.

    Sobre os pneus duros, é uma boa observação. Será que vai haver alguma corrida em que abusar dos pneus será suficiente para compensar o tempo de uma parada a mais?
    Ai entra a questão do reabastecimento. Se ainda fosse permitido, com certeza sim. Com as regras desse ano, não sei.

    Dominicalli fez o certo: “sem ordens da equipe”. Certo em questão de esportividade, porque Alonso poderia dar mais trabalho ao Kubica que o Massa.

    Com ajuda de vocês, podemos fazer “As pérolas da dupla” todo GP😉

    • Vito
      30/03/2010 às 17:39

      KBK, muito bons seus comentários mas tenho que discordar com relação ao Hamilton.
      Revi a corrida e avaliei a estratégia do Lewis: se a partir daquele momento que ele estava atrás do Kubica ele passa a salvar os pneus, desconfio seriamente que ele aguentaria até o final da corrida sem outro pit-stop e ainda teria uma melhor posição final. Foi o que Button fez ao alcançar uma boa posição: salvou pneus!
      Entretanto, esse não é o Lewin que nós conhecemos. Ele degradou demais os pneus, precisou de um novo jogo e o resto da estória todos nós conhecemos.

      • KBK
        30/03/2010 às 18:28

        Realmente, Vito. Acima escrevi “quase afirmo” porque não dei atenção suficiente a isso enquanto assistia a corrida pela segunda vez.
        A princípio fiquei com a impressão que ele não conseguiria, pois poupar os pneus foge à sua característica de pilotagem, assim como o Schumacher, por exemplo. Mas isso não quer dizer que esses 2 não sejam capaz de poupar os pneus e manter um rítmo aceitável.

        Vou tentar analisar a corrida do Hamilton depois do pit e respondo melhor em breve.

        E seus comentários sempre adicionam bastante conteúdo, acho excelente.

        Edit: revi o trecho da corrida desde a parada do Lewis até o momento que ele chega no Kubica e fiquei com a impressão que os pneus não aguentariam. Vale lembrar que o Button se preocupou com os pneus desde o momento que colocou eles. Ficava o tempo todo perguntando “Como estão meus pneus traseiros?” e a resposta era sempre que eles estavam bem (há algum sensor além de temperatura e pressão para determinar isso?).

  5. 29/03/2010 às 19:24

    Bom meus colegas aqui muito suscintos e inteligentes, ja fizeram boa árte das observaões que eu ia fazer, mas vou colocar aqui mais alguns, Hamilton chororo, levaria sua Maclaren até o fim com apenas uma troca? sabendo de sua postura maldosa com os pés de borracha, ainda sobre os pneus, os compostos duro e mais duro, farão algumas corridas mais a frente um tédio total, e as perolas se continuarem a serem citadas farão um livro, ele disse que o carro de Weber tinha quebrado, quando todo mundo viu que na verdade ele freio muito dentro e normalmente espalhou além do que ele queria, e ainda quando Glock abandonava lento ele confundiu a Virgin com uma ferrari e claro a de Alonso.
    A imprensa espanhola tbm é da turma do chororo, reclamou da ferrari, no barhein tava tudo bem? pimenta no dos outros é refresco, parabens Ferrari houve dois pesos e duas medidas…

  6. KBK
    29/03/2010 às 15:15

    A Globo precisa renovar mesmo. Sportv tem gente capacitada.
    Essa questão do ‘X’ muita gente se enganou mesmo, até o pessoal da BBC.

  7. Vito
    29/03/2010 às 13:42

    Willian :Haha! Gostei das pérolas globais. Eu não lembrava daquela sobre Schumacher e Di Grassi.
    Sobre o Button, era ousado. Mas, no fim, ele contrariou a todos e mostrou estar certo. Obviamente que os deuses globais não comentariam o erro de julgamento deles…

    Com relação a narração da corrida feita pelo “pai do Cacá”, creio que merecia um post a parte: foi muuuito ruim!!!
    Gente, o cara é profissional disso e não se cansa de errar o nome das equipes! Apareceu uma Lotus e ele disse que era o DiGrassi.
    Mostraram o Paul di Resta nos boxes e ele não sabia quem era (o cara pilotou durante toda a 6a feira!).
    Até hoje, 90% da população brasileira (incluindo alguns outros sites de F1) acreditam que DiGrassi deu um “X” em Schumacher, quando na verdade foi o Glock.
    Culpou o Kobayashi pelo acidente com o Hulk, quando na verdade o bico dele quebrou em um toque anterior.
    Ele demorou um século para reconhecer o carro do Rubinho, sendo que o Hulk já estava fora e os capacetes são totalmente diferentes. (sem contar essa da ultrapassagem já citada, que foi hilária… Alonso ignorou Rubinho).
    O pior de todos: disse que o Button estava fora da corrida na primeira curva após saída do boxes! hahaha, que toupeira!

  8. Vito
    29/03/2010 às 13:27

    Luiz Sergio :E a porca mágica da Ferrari, é mais lenta que a porca normal da Renault????

    Acho que na Ferrari, “a porca foi pro brejo”

  9. Luiz Sergio
    29/03/2010 às 9:40

    Sobre Hamilton e Button, eu sempre falei que seria o melhor tipo de pilotos para uma equipe, dificilmente teremos uma briga interna pois são dois pilotos com estilos diferentes.

  10. Luiz Sergio
    29/03/2010 às 9:31

    E a porca mágica da Ferrari, é mais lenta que a porca normal da Renault????

  11. Luiz Sergio
    29/03/2010 às 9:24

    Willian, gostaria de compreender sua analise sobre alguns pilotos.
    Massa, não conseguiu se acertar com os pneus, tanto nos treinos quanto na corrida, parece que ele tomou a decisão de andar o mais rápido possível e tentar pontuar alguma coisa, conseguiu muito mais que poderia imaginar. Nota 6 ????
    Shumi, não teve culpa no acidente e a pista quando secou, ficou difícil para qualquer um tentar uma ultrapassagem, ele ainda conseguiu isso. Nota 4 ???
    Faço uma pergunta para quem sabe procurar na internet: quando a pista secou realmente, quais foram os pilotos que conseguiram fazer ultrapassagens, pista SECA, não + ou -?

    • 29/03/2010 às 15:10

      Desculpe Luiz, mas acho que você me confundiu com o KBK.😉

      Embora, sobre o Schumacher, eu concorde com ele. Ele levou quase a corrida inteira para ultrapassar o Alguersuari, novato em um carro muito inferior que é o da Toro Rosso…

      O Alonso, que também foi para o fim do grid, terminou em 4°.

    • KBK
      29/03/2010 às 15:35

      Então Luiz, sobre o Massa: ele tem o mesmo equipamento que o Alonso. Na minha visão, ele tem a responsabilidade de fazer o carro funcionar. A corrida dele, como você disse, foi muito comprometida por não conseguir “fazer o pneu funcionar”, e sendo responsabilidade dele, a nota fica bem baixa. O resultado porém foi ótimo, por isso a nota subiu de 4 pra 6.
      Sobre o Schumahcer é o que o William respondeu embaixo.
      Sobre ultrapassagens no seco, no post tem registrado 2 do Webber sobre o Massa. Hamilton 1 sobre o Massa e 1 sobre o Rosberg. Ainda houve outras.

      O fato é que o Schumacher estava em 20° e o Alonso em 18° quando o safety car estava na pista, sendo que entre eles tava o Chandhok.
      Se o alemão não teve problemas no carro, foi uma péssima corrida.

  12. 29/03/2010 às 8:24

    Haha! Gostei das pérolas globais. Eu não lembrava daquela sobre Schumacher e Di Grassi.

    Sobre o Button, era ousado. Mas, no fim, ele contrariou a todos e mostrou estar certo. Obviamente que os deuses globais não comentariam o erro de julgamento deles…

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s